Páginas

sábado, 23 de setembro de 2017

PROGRAMAÇÃO SEMANAL: De 25 de setembro a 01 de outubro de 2017

SEGUNDA-FEIRA
Missa na Matriz – 19h

TERÇA-FEIRA
Missa na Comunidade Terapêutica Renascer – 17h
Reunião dos Ministros da Palavra (participantes conforme a escala) – Sala da Matriz – 19h30

QUARTA-FEIRA
Encontros de Preparação para a Ordenação Diaconal de Diego e Flávio – 20h

QUINTA-FEIRA
Adoração ao Santíssimo – Matriz – das 6 às 16 horas
Terço da Misericórdia – Matriz – 15 horas
Missa na Comunidade Santa Rita – 19h

SEXTA-FEIRA
Sem programação

SÁBADO
Missa na Matriz – 19h
Missa em Baguaçu – 19h30
Encontro de Preparação para o Batismo – Sala da Matriz – 16h
Reunião da Pastoral da Acolhida – Sala da Matriz – 15h

DOMINGO
Missa na Comunidade Santa Rita – 8h
Missa na Comunidade São Pedro – Jardim Tropical II – 9h
Missa na Matriz – 10h
Missa na Matriz - 19h (Com transmissão pela Rádio Espaço Livre AM)
______________________________________________________

FRASE DA SEMANA: “Na vida é preciso saber se desapegar, afinal, nem tudo que vem fica e nem tudo que foi era fundamental!”. Pense nisso e viva melhor!!!

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

25º DOMINGO DO TEMPO COMUM: Buscai o Senhor!

A Palavra de Deus deste domingo começa com este conselho: "Buscai o Senhor!". Podemos achar estranho este pedido, porém nele está a solução para todos os graves problemas que atormentam a vida de todos os que habitamos a terra. Estamos sofrendo as consequências da nossa teimosia em pretender construir uma sociedade seguindo as teorias dos homens e desprezando a palavra de Deus. Estamos vendo que a nossa maneira de pensar e de agir é a causa de toda a corrupção e de toda a violência que nos aflige. Constatamos ainda que todos os esforços e o uso de todos os instrumentos de repressão que inventamos são incapazes de conter esta violência que provocamos com as nossas injustiças e a falta de respeito aos direitos dos nossos irmãos, principalmente dos mais pobres. Este é o mundo que a sabedoria humana criou! 

Deus criou um mundo diferente! Este fato nós somos convidados a meditar na missa deste domingo. Alertados pelo profeta Isaías (Isaías 55,6-9), ouvimos: "Buscai o Senhor, enquanto pode ser achado; invocai-O, enquanto está perto. Abandone o ímpio seu caminho, e o homem injusto, suas maquinações; volte para o Senhor, que terá piedade dele; volte para nosso Deus, que é generoso no perdão. Meus pensamentos não são os vossos pensamentos, e vossos caminhos não são como os meus caminhos, diz o Senhor. Estão meus caminhos tão acima dos vossos caminhos e meus pensamentos acima dos vossos pensamentos quanto está o céu acima da terra". Deus criou o mundo como um jardim onde não faltava o necessário a ninguém, e todos viveriam em paz e seriam felizes. Nós pensamos que somos mais inteligentes que Deus e agora estamos colhendo os resultados. 

Todos nós somos responsáveis! Isto afirma São Paulo (Filipenses 1,20-27): "Irmãos, Cristo vai ser glorificado no meu corpo, seja pela minha vida, seja pela minha morte. Pois, para mim, o viver é Cristo e o morrer é lucro". Diante desta alternativa, diz: "Sinto-me atraído para os dois lados: tenho desejo de partir, para estar com Cristo, mas para vós é mais necessário que eu continue minha vida neste mundo. Só uma coisa importa: viver a altura do evangelho de Cristo". Por isso ele pode afirmar: "Sede os meus imitadores como eu procuro imitar a Cristo"

No Evangelho (Mateus 20,1-16) Jesus nos mostra a necessidade da prática da justiça, contando a parábola de um patrão que saiu de madrugada para contratar trabalhadores para a sua vinha. Combinou com os trabalhadores uma moeda de prata por dia e os mandou para a vinha. Durante o dia, saiu várias vezes e, encontrando pessoas sem trabalho, mandou-os também a trabalhar na sua vinha. Quando chegou a tarde, o patrão disse ao administrador: "Chama aos trabalhadores e paga-lhes uma diária a todos, começando pelos últimos até os primeiros". Os que trabalharam o dia tudo acharam que não era justo, como também nós, ao ler esta parábola, podemos pensar que não está certo. O resultado é que, entretanto, exista tanta gente sem trabalho e passando fome, deveremos conviver com esta violência. Um ditado antigo, dizia: "Não existe pior conselheiro que a fome".

Monsenhor Antonio 



sábado, 16 de setembro de 2017

PROGRAMAÇÃO SEMANAL: De 18 a 24 de setembro de 2017

SEGUNDA-FEIRA
Missa na Matriz – 19h

TERÇA-FEIRA
Missa na Comunidade Terapêutica Renascer – 17h

QUARTA-FEIRA
Reunião da Pastoral Litúrgica – Sala da Matriz – 20h

QUINTA-FEIRA
Adoração ao Santíssimo – Matriz – das 6 às 16 horas
Terço da Misericórdia – Matriz – 15 horas
Missa na Comunidade Santa Rita – 19h
Terço dos Homens – Matriz – 20h

SEXTA-FEIRA
Missa no Bairro Tamanduá – 20h
Ordenação Diaconal em Guaraci – 19h

SÁBADO
Missa na Matriz – 19h
Missa em Baguaçu – 19h30

DOMINGO
Missa na Comunidade Santa Rita – 8h
Missa na Comunidade São Pedro – Jardim Tropical II – 9h
Missa na Matriz – 10h
Missa na Matriz - 19h (Com transmissão pela Rádio Espaço Livre AM)
Devoção das Mil Ave-Marias – Matriz – 12h
_______________________________________________________
FRASE DA SEMANA: “Amadurecer não é tomar decisões corretas sempre. Amadurecer é saber lidar com as decisões tomadas!”. Pense nisso e viva melhor!!!

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

24º DOMINGO DO TEMPO COMUM: Saber Perdoar!!!

Estamos num mundo dominado pela violência, fruto da corrupção que se instalou no nosso coração, sobretudo, dos ricos e dos governantes. E, para controlá-la, usam as armas e a violência, sem pensar que "a violência gera mais violência". E muitos clamamos por justiça e por vingança. Todas estas atitudes, além de não resolver os problemas, aumentam o mal estar do mundo. O nosso estimado papa Francisco publicou um livro com este título: "Misericórdia é o outro nome de Deus". Ele está fundamentado na Palavra de Deus que, desde o início da humanidade, tem pena de nós e prometeu escolher outra mulher que seria a mãe do Salvador, o Filho de Deus. Ele, que veio participar da nossa história para ensinar-nos a viver como seres humanos, em paz e harmonia, a pagar com o seu sangue e a sua morte o nosso pecado e, com a sua Ressurreição, abrir-nos as portas para a vida eterna. 

Este gesto de misericórdia e de perdão está em todas as páginas da Bíblia, como distintivo dos filhos da luz, em contraste ao rancor e ao ódio que são as características dos filhos das trevas. Isto nos é apresentado em todas as leituras da missa deste domingo. O Livro do Eclesiástico (Eclo. 27,33-28,9) afirma: "O rancor e a raiva são coisas detestáveis: até o pecador procura dominá-las". Com elas é impossível ter paz em nossa consciência e saúde em nosso corpo. Por isso continua perguntando: "Se alguém guarda raiva contra o outro, como poderá pedir a Deus a cura? Se não tem compaixão do seu semelhante, como poderá pedir perdão de seus pecados?". E termina aconselhando: "Pensa nos mandamentos e não guardes rancor ao teu próximo. Pensa na aliança do Altíssimo e não leves em conta a falta alheia!".

Na Carta de São Paulo aos Romanos (Rm. 14,7-9) veremos que nós estamos neste mundo para demonstrar o nosso amor a Deus trabalhando, não para acumular riqueza, sim para que não falte o necessário a nenhum dos nossos irmãos: Lá diz: "Irmãos, ninguém entre nós vive para si mesmo ou morre para si mesmo. Se estamos vivos, é para o Senhor que vivemos; se morremos, é para o Senhor que morremos. Portanto, vivos ou mortos, pertencemos ao Senhor. Cristo morreu e ressuscitou exatamente para isto: para ser o Senhor dos mortos e dos vivos." 

O Evangelho de Mateus (Mt. 18,21-35) apresenta-nos a Pedro perguntando a Jesus: "Senhor, quantas vezes devo perdoar se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes? Jesus respondeu: 'Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete". E continuou contando-lhes uma parábola para que todos entendamos que se Deus nos perdoa o pecado que cometemos, destruindo todas as coisas que Ele criou para nós, e desprezando os seus ensinamentos, para seguir as teorias mentirosas dos homens. Por isso, também nós devemos perdoar as pequenas ofensas que possamos receber dos nossos irmãos. E termina o evangelho lembrando o que Ele ensinou-nos a pedir no Pai Nosso: "Perdoai as nossas ofensas como nós perdoamos a quem nos ofendeu". 

Se não perdoamos, não seremos perdoados!

Monsenhor Antonio 



sexta-feira, 8 de setembro de 2017

PROGRAMAÇÃO SEMANAL: De 11 a 17 de setembro de 2017

SEGUNDA-FEIRA
Missa na Matriz – 19h

TERÇA-FEIRA
Reunião dos Pais e Padrinhos dos Catequizandos da Terceira Etapa da Crisma da Comunidade Matriz– Sala da Matriz – 19h

QUARTA-FEIRA
Reunião do CCP São Pedro – Jardim Tropical 2 – 20h

QUINTA-FEIRA
Adoração ao Santíssimo – Matriz – das 6 às 16 horas
Terço da Misericórdia – Matriz – 15 horas
Missa na Comunidade Santa Rita – 19h

SEXTA-FEIRA
Missa no Bairro Lambari – 20h

SÁBADO
Missa na Matriz – 19h
Missa em Baguaçu – 19h30
Retiro Espiritual para Catequistas das Paróquias de Olímpia – Cripta da Matriz – 13 horas

DOMINGO
Missa na Comunidade Santa Rita – 8h
Missa na Comunidade São Pedro – Jardim Tropical II – 9h
Missa na Matriz – 10h
Missa na Matriz - 19h (Com transmissão pela Rádio Espaço Livre AM)
De Segunda a Quinta – Retiro do Clero Diocesano
________________________________________________________

FRASE DA SEMANA: “O primeiro a pedir desculpas é o mais corajoso. O primeiro a perdoar é o mais forte. E o primeiro a esquecer é o mais feliz!”. Pense nisso e viva melhor!!!

23º DOMINGO DO TEMPO COMUM: Somos responsáveis!

"Todos nascemos bons, é o mundo que nos corrompe". Esta afirmação, que foi muito discutida, apresenta-se hoje como um foco de luz para ajudar-nos a compreender o que estamos presenciando no mundo. A vida é um dos atributos privativos de Deus, por isso a ciência humana não conseguiu fazer nada vivo. O  máximo que tem conseguido é manipular a vida, e destruir a vida que Deus criou para satisfazer todas as nossas necessidades. Destruímos as plantas, arrancamos as árvores, matamos os peixes, acabamos com os pássaros e os animais e, como consequência, respiramos um ar e bebemos água bastante poluídos, somos obrigados comer alimentos contaminados, e chegou a hora de destruir-nos mutuamente. Deus criou-nos com todo carinho. Jesus instituiu o sacramento do matrimônio para abençoar o compromisso de amor e de fidelidade entre os casais, e ajudá-los a serem fiéis ao compromisso para criarem um ambiente de paz e de felicidade a fim de transformar o amor que os une no momento sublime que Deus preparou para eles. E, desta forma, lhes confia a vida dos filhos para que os acompanhem neste clima de paz durante o tempo que estiverem no seio da mãe, e, depois do nascimento, a família seja para eles a grande escola. E ali fazer com que eles aprendam a amar a Deus como Pai e tratar a todos como irmãos, e assim colaborem para que todos vivamos em paz. 

Como esquecemo-nos deste plano preparado por Deus e deixamo-nos levar pelas teorias mentirosas dos homens, Ele convida-nos a meditar (Ezequiel 33,7-9) através da seguinte passagem: "Assim diz o Senhor: 'Quanto a ti, filho do homem, eu te estabeleci como vigia para a casa de Israel. Logo que ouvires alguma palavra de minha boca; tu os deves advertir no meu nome. Se eu disser ao ímpio que ele vai morrer e tu não lhe falares, advertindo-o respeito de sua conduta, o ímpio vai morrer por própria culpa, mas eu te pedirei contas de sua morte". Eis a responsabilidade de todos os educadores! 

São Paulo (Romanos 13, 8-10) nos adverte: "Irmãos, não fiqueis devendo nada a ninguém, a não ser o amor mútuo, pois quem ama o próximo está cumprindo a lei". E lembra os mandamentos que ensinam-nos como deve ser o nosso relacionamento com os nossos irmãos. Termina dizendo: "Portanto, o amor é o cumprimento perfeito da lei". 

No Evangelho (Mateus 18, 15-20) Jesus lembra a obrigação de ajudarmos o nosso irmão que anda em caminho errado, se for necessário devemos pedir ajuda dos amigos e até da Igreja. E ainda promete: "Em verdade vos digo, tudo o que ligares na terra ser ligado no céu, e tudo o que desligares na terra será desligado no céu." Isto quer dizer que Ele nos confia a missão que Ele recebeu do Pai. Por isso termina: "Pois, onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estou aí, no meio deles". 

A maldade do mundo é por termos abandonado a Deus! 

Monsenhor Antonio