Páginas

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

1º DOMINGO DA QUARESMA: A hora da opção!

Estamos iniciando a Quaresma e deveríamos começar fazendo-nos esta pergunta: para que celebramos a quaresma? Será que já nos fizemos, alguma vez, esta pergunta? É essencial para a nossa vida, conhecer bem a resposta. Entre as mensagens que a Palavra de Deus nos dá cada domingo, esta é a mais fácil de ser entendida. Porque é o próprio Jesus que nos dá a resposta, não com a palavra e sim com o exemplo. 

São Lucas (Lc 4,1-13) nos conta que Jesus, depois de ser batizado por João Batista, retirou-se no deserto. Aqui, esta palavra tem um sentido diferente. Este mundo é comparado a um desterro. Pedimos a Nossa Senhora: "Depois deste desterro, mostrai-nos a Jesus". E, durante este tempo, devemos fazer as opções mais importantes. Foi isto que fez Jesus. 

Ele foi convidado pelo demônio a deixar-se escravizar pelas riquezas, pelo poder, pela vaidade, e, hoje, poderíamos acrescentar o consumismo, o prazer, o ódio, a violência e tantas outras coisas que nos levam a destruir a natureza criada por Deus, prejudicar os nossos irmãos e a destruir-nos a nós mesmos. 

Mostrou-nos, também, onde nós podemos encontrar o caminho certo para podermos seguir com segurança, a luz para guiar os nossos passos e a força para vencer todos os obstáculos. Tudo isto encontramos na palavra de Deus deste domingo. 

Este é o exemplo que Jesus nos dá ao iniciar a quaresma. A nós cabe imitá-lo. A escolha é nossa! Nos oferece uma quaresma para fazer a nossa opção..

Monsenhor Antonio

 

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

SEGUNDO VÍDEO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2016

video

MISSA DAS CINZAS

A Celebração das Cinzas e o Início da Campanha da Fraternidade 2016 aconteceu na Matriz de São João Batista na noite de quarta-feira, às 20 horas. Com isso, iniciamos o grande retiro quaresmal, iluminado pela Campanha da Fraternidade que pede atenção à Casa Comum, Nossa Responsabilidade.

Fotos: Gustavo Capelari

























VÍDEO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2016: APRESENTAÇÃO

video

Vídeo de Apresentação da Campanha da Fraternidade 2016 com o tema Casa Comum, Nossa Responsabilidade!

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2016 - CARTAZ


A inspiração do autor para a criação do material que nortearás os trabalhos deste ano foi inspirado no Livro de Amós, capítulo cinco, versículo 24: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5,24).
Anderson Augusto de Souza Pereira é o autor do cartaz da Campanha da Fraternidade 2016. De forma objetiva, Anderson conta como se inspirou para criar o material que norteará os trabalhos em 2016, tendo como tema o ecumenismo. Abaixo, as explicações sobre sua inspiração quando da criação do material que traduz em imagens o chamamento que a campanha requer que é o Cuidado da Casa Comum:
Explicação do Cartaz da CFE 2016
A arte do Cartaz
“Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5,24).
Este foi o versículo que inspirou o processo de criação do cartaz dessa Campanha da Fraternidade Ecumênica.
Assumir a responsabilidade com a Casa Comum exige uma profunda mudança no estilo de vida e nos valores que orientam nossa ação. Nosso modelo de sociedade está baseado no consumo e na aparência. Para suprir essas necessidades, sacrificamos a Casa Comum, que é o espaço em que habitamos.
Nem sempre estamos atentos para atitudes simples, por exemplo, o descarte correto do lixo, ligar nossas casas às redes de esgoto, cuidar da água, entre outras. A falta desses cuidados fere a Criação, de forma que, no lugar de flores, jardins e frutos diversos vemos esgoto a céu aberto, rios poluídos e monoculturas. A diversidade da criação de Deus desaparece.
A terra alegre fica triste. No entanto, a fé em Jesus Cristo nos anima a assumirmos o cuidado com a Casa Comum como resposta ao amor incondicional que Deus oferece a cada um e cada uma de nós. Assumir esse compromisso reacende a esperança de um novo céu e uma nova terra onde habitam a justiça e o direito.
É isso que expressa o rosto da mulher em destaque no cartaz. Queremos que as mudanças dos paradigmas e valores que nos orientam nessa sociedade de consumo transformem o rio poluído em água cristalina e habitado por muitos peixes, a terra seca em uma terra renovada e abundante. Com essa transformação, poderemos dançar e celebrar a esperança de que o projeto da Casa Comum não terá fim, mas continuará por gerações e gerações

MISSA DAS CINZAS